sexta-feira, 6 de junho de 2014

Governo do Estado disponibiliza recursos para melhoria no sistema prisional da Paraíba

A Paraíba possui um déficit de 3.378 vagas no sistema prisional. É o que revela o 'Novo diagnóstico de pessoas presas no Brasil', divulgado na manhã de ontem, pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). O documento aponta que as 5.892 vagas destinadas aos detentos são insuficientes para a realidade do Estado, que conta com uma população carcerária de 9.270 presos.
Os dados foram extraídos, no mês passado, do Cadastro Nacional de Inspeções nos Estabelecimentos Penais. O titular da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), Walber Virgolino, disse que não recebeu nenhum tipo de comunicado do CNJ sobre a superlotação na Paraíba, mas se o problema foi constatado pelo Conselho, o mesmo tem que cobrar soluções do setor competente, que tem o poder de julgar os processos, uma vez que a Seap não é dotada desta competência.
Walber Virgolino acrescentou que a Seap mantém o compromisso de fazer a parte que lhe compete, a exemplo da construção de um pavilhão de 260 metros de área coberta que terá capacidade para, no mínimo, 200 presos. “Além disso, foi destinado R$ 1,6 milhão para a reforma do PB1, que com a conclusão irá dispor de mais 400 vagas, bem como as reformas em diversas cidades, como Solânea, Pilar, Mamanguape e Cubati, afora as construções em Monteiro, Princesa Isabel, Serrotão, Monte Santo, Itabaiana, Esperança”, ressaltou.
G1

Reações:

0 comentários: