quinta-feira, 12 de junho de 2014

Manifestações em dez capitais brasileiras marcam abertura da Copa do Mundo

A Copa do Mundo volta ao Brasil depois de 64 anos com o jogo de abertura entre Brasil e Croácia, às 17h, no Itaquerão. Mas as manifestações que atingem o país desde o período da Copa das Confederações, há um ano, também devem marcar presença, principalmente nas cidades-sede do Mundial.
• Belo Horizonte
A manifestação "Copa sem povo, tô na rua de novo" está programada para 12h, na Praça Sete. O ato apoia os servidores públicos, em busca de melhores condições de trabalho, e é contra a criminalização de protestos. Outro protesto está programado, para 16h, em frente à prefeitura: a abertura da Copa do Mundo de Pelada, chamada de "Fifa Street - Futebol de Verdade", contra a elitização no futebol.
• Brasília
O movimento "Copa das Manifestações" se concentra às 14h na Praça do Relógio, a 2 km da Fan Fest da Fifa no DF, em Taguatinga. Na internet, pelo menos mil pessoas confirmaram presença no protesto por meio das redes sociais. Os manifestantes prometem mais manifestações para todos os sete jogos da Copa que acontecem em Brasília.
• Curitiba
É esperado para a tarde desta quinta um protesto contra a Copa na Cidade Industrial. O bairro, que ocupa as zonas oeste e sul da cidade, foi o mais atingido pelas enchestes recentes e vive período de manifestações sociais após os estragos. Em Curitiba, os protestos diversos têm tido menos intensidade do que em outras grandes capitais desde junho de 2013.
• Fortaleza
Local da primeira Fan Fest da Copa do Mundo, o aterro de Iracema, em Fortaleza, será palco de duas manifestações durante o jogo Brasil x Croácia, que será mostrado no local por um telão. Do lado de fora, serão realizados os protestos "1º Grande Ato na Abertura da Copa da Fifa" e "Abertura da Copa das Manifestações".
• Porto Alegre
Um protesto do Bloco de Lutas está marcado para 12h. A ideia é unir manifestantes em frente à prefeitura, no centro. O local fica distante da Fan Fest, que será realizada no Anfiteatro Pôr-do-Sol. O "Ato Nacional Unificado: Copa sem povo, estamos na rua de novo!" reclama, entre outros aspectos, dos gastos excessivos com o Mundial.
• Recife
Um protesto está marcado para 11h, na praça do Diário, região central. Segundo o manifesto, a ideia é "sensibilizar a população para os impactos locais da Copa do Mundo e fazer com que a força da torcida de todas seja pela garantia de direitos que todos nós que somos atingidos pela Copa." Pelo Facebook, apenas pouco mais de 500 pessoas confirmaram participação.
• Salvador
O protesto "Não vai ter Copa" está previsto para 14h, na região do shopping Iguatemi. O mote do protesto é "se não tiver saúde, não vai ter Copa". O grupo promete fazer outro protesto na sexta-feira, no Campo Grande, dia da primeira partida na cidade, entre Holanda e Espanha.
• São Paulo
Duas manifestações estão programadas: a primeira está marcada para 10h, do coletivo "Se Não Tiver Direitos, Não Vai Ter Copa", na estação Carrão do Metrô, até as imediações do Itaquerão. Outro protesto está marcado para 14h, na rua Mauá, próximo à estação da Luz, do Comitê Copa Popular e por grupos de defesa ao direito de moradia. Segundo os organizadores do evento, a manifestação será pacífica.
• Rio de Janeiro
Pelo menos dois protestos estão programados. O primeiro deve ocorrer às 10h, Candelária, no centro. O ato "Nossa Copa é na Rua" deve reunir membros do Comitê Popular da Copa e Olimpíada do Rio de Janeiro. Já às 15h, haverá o ato "Fifa GoHome ". A manifestação ocorrerá na região da Praia de Copacabana, local em que será realizado o Fan Fest da capital fluminense.

Reações:

0 comentários: