segunda-feira, 23 de junho de 2014

Opinião: Alavantur, Anarriê, Balançê...Olha o Assalto!

Chegou o mês de junho onde acontece a maior festa regional do Brasil: o São João, uma comemoração que costuma movimentar todo o Nordeste e particularmente nosso Estado.

Nós já estamos vendo as apresentações das quadrilhas políticas. Tem político ainda procurando seu par pra dançar, enquanto outros já estão bem ensaiados, com o ritmo na ponta do pé. Tem político que ainda não sabe que roupa vai vestir para suas apresentações. É o caso de Vené, que a meu ver ainda anda confuso, sem par e sem vestimentas adequadas para sua apresentação. Ele vai se apresentar, mas sua quadrilha anda sem coreografia.
As decisões políticas da Paraíba serão sem dúvidas tomadas na festa de São João e São Pedro. A popularidade será um dos critérios de avaliação para a premiação final da melhor quadrilha. Aquele grupo que sorrir mais e dá mais aperto de mão, terá sim uns pontinhos a mais.
Nesse critério quem sai perdendo é Ricardo Coutinho, que não gosta de distribuir sorrisos porque anda preocupado demais com as suas responsabilidades diárias, como chefe do Executivo e com mil e uma obrigações à fazer. Alias a quem diga que ele não vai dançar quadrilha esse ano, porque estará trabalhando! A quadrilha de Ricardo Coutinho é outra. É aquela em que a zabumba é substituída pelo trator, o triangulo dá espaço para a perfuratriz e a sanfona abre alas para os operários que fazem o cumprimento às suas damas: obras e mais obras.
Cássio Cunha Lima, esse formará uma quadrilha com passos bem ensaiados, distribuindo simpatia e beleza. Há quem diga que ele fica em primeiro lugar só por esses motivos. Cássio vai usar bem o alavantú, avançando no corpo a corpo, buscando alianças. Vai usar bem o anarriê que significa voltar aos seus lugares, buscando antigas alianças e vai fazer o balancê com as pesquisas, sempre mostrando que está marcando bem os passos inclusive os passos dos adversários.
Na quadrilha junina quem dança são os integrantes, mas na quadrilha política, quem dança mesmo é o povo. Principalmente se deixarem ser influenciados pelas vestimentas, simpatia e melhor passo, esquecendo que tudo não passa de uma fantasia junina. A partir de julho, as boas quadrilhas saem de cena.
É bom mesmo ficar de olho no momento em que o locutor da quadrilha substituir o Olha a Chuva!! Pelo Olha a Corrupção!! Olha o Assalto!!. Os que estiverem sendo plateia e forem bons observadores, com certeza chagarão em outubro com a consciência de que fizeram a escolha certa.
Por Sabrina Barbosa

Reações:

0 comentários: