sexta-feira, 27 de junho de 2014

Rompimento de Rômulo com RC foi a maior traição da política da PB

O secretário estadual de Comunicação, Luis Tôrres, disse, na tarde desta sexta-feira (27), que o rompimento do vice-governador Rômulo Gouveia (PSD) com o governador Ricardo Coutinho (PSB) ficará marcado como um dos maiores episódios de traição da história política da Paraíba. No início da tarde, durante entrevista coletiva na sede da Associação Paraibana de Imprensa (API), Rômulo justificou o afastamento do socialista com o fato de ter perdido a vaga de senador na chapa majoritária do PSB para o PT.
“Fica marcado como um dos episódios mais fortes de traição da história da política da Paraíba”, afirmou.
Rômulo disse que em nenhum instante Ricardo conversou com ele sobre o processo de aliança com o PT e que ficou sabendo através da imprensa da articulação, na qual foi oficializado o nome de Lucélio Cartaxo (PT) na chapa na vaga de senador, que estava “apalavrada com o PSD”. No entanto, Luis Tôrres disse que Rômulo foi avisado e acompanhou pessoalmente todos os passos com relação às composições políticas.
Tôrres revelou que o vice-governador colocou a disposição o cargo que pleiteava dentro da chapa majoritária, para que o governador costurasse o processo de aliança.
“O que mais surpreendeu foi à justificativa que confronta violentamente a realidade, pois o vice-governador colocou a disposição o cargo que pleiteava dentro da chapa majoritária para que o governador costurasse o processo de aliança”, declarou.
O secretário acrescentou que Rômulo Gouveia não teve sequer “coragem de olhar nos olhos do governador Ricardo Coutinho e dizer diretamente o que motivou o rompimento, que foi orquestrado na calada da noite, entre quatro paredes”.
“A Paraíba vai perguntar por anos e anos quais são as razões do vice-governador para o rompimento, depois de Rômulo usufruir e compartilhar deste governo durante três anos e seis meses”, completou.
VITRINE DO CARIRI Cristiano Teixeira MaisPB

Reações:

0 comentários: