sábado, 26 de julho de 2014

Celebrando o sertão

Por Sabrina Barbosa.
A região sertão da Paraíba, é uma região riquíssima, porém pouco valorizada. Chama-se sertão, a região semiárida do nordeste brasileiro caracterizada pelo clima seco e quente e escassez de chuva. Contudo, a natureza já demonstrou que é possível viver bem nessa região, desde que se estabeleça uma relação harmoniosa e práticas adaptadas a esse ecossistema.
O fenômeno climático assola a região nordestina há muitos anos, a tal da seca, não nos assusta mais, nós na qualidade de agricultores e produtores rurais, aprendemos a conviver com essa visita que chega ano sim, ano não. Apesar de castigar o homem do campo, dizimar produções e prejudicar a indústria, a seca é passível de convivência de maneira sustentável. Homens e mulheres que com suas mãos habilidosas continuam a plantar, não desanimam caso a colheita não seja boa, mais inventam medidas para que a comida não deixe de chegar à mesa. E com isso vão surgindo ideias e mais ideias e planejamentos que possam garantir que mesmo na seca a mesa seja farta.
Os sítios tem suporte de cisternas, a plantação de adapta a prática do gotejo, e a criação do rebanho de adapta ao racionamento de água e comer ração ao invés do capim ou vegetação, já que nestes períodos o solo por aqui se torna pedregoso.
O Governo chega com algumas medidas na questão de manutenção do rebanho. Vem com aquela política arcaica dar uma esmolinha, não realiza nenhum plano estratégico para administrar o problema e opta por soluções pontuais que se repetem ao longo dos anos, invertendo as prioridades. Há por aqui a distribuição de ração, de sementes, de palma forrageira, as cisternas ganham água das operações carro-pipa, e por aí dá pra passar mais uma seca. É assim que tem sido há muitos anos.
Outro ponto que observamos, a situação dos reservatórios na nossa região ainda se torna preocupante, porque ainda falta a conscientização das pessoas -estas urbanas- porque a zona rural sabe bem o que é consumo consciente. As pessoas das zonas urbanas ainda não tem a prática de preservar a água e economizar com gastos excessivos, como lavagem de carros, de calçadas, reaproveitamento etc.
Mas mesmo assim, com tantos problemas que enfrentamos com a seca, a nossa região do interior da Paraíba, é famosa pelas festas que realiza na área rural. Temos por aqui, festival de comidas típicas, feiras de agricultor, leilões de gados, bodes. Em Princesa Isabel todos os anos tem a Festa da Mandioca. Com a economia baseada na agricultura, a comunidade de Lagoa de São João, realiza todos os anos há 12 anos, a sua tradicional festa mostrando os produtos derivados da mandioca. O produtor princesense busca a cada ano melhorar a produtividade e a qualidade dos produtos para conquistar novos mercados. E a seca nunca foi empecilho, pois a Comunidade recebe assistência técnica que contribui para a organização das famílias agricultoras.
São com incentivos assim, de convivência com a estiagem, que nossa gente poderá melhor viver nestes períodos, o nosso cenário não vai mudar, e por isso os nossos produtores e agricultores, precisam de debates sobre técnicas de conservação de água no solo para o aumento da produtividade, o acesso ao crédito rural para custeio da produção, o uso de novas medidas na alimentação animal, a assistência técnica e a pesquisa como forma de desenvolvimento sustentável do semiárido.
Imagens do sertão.
Por Sabrina Barbosa

Reações:

2 comentários:

lucivaldo disse...

Ola Sabrina Barbosa, bom dia,Muito bom seu texto, concordo em ponto e virgula com o que você relatou; eu também sou um desses fortes e resistentes sertanejos, sou funcionário público, más não esqueço minhas raizes, sou apaixonado pela zona rural, gosto de criar animais; tais como:gado, ovelhas, etc. Minha opinião diante do relatado é a seguinte; eu acho os políticos apáticos diante dessa questão, não se vê uma política preventiva para a grande questão SECA, hoje podemos vê a zona rural coberta de pastagens, mas aqui a seca é certa e o inverno é raro. Não se tem um incentivo do poder público quanto ao armazenamento dessa pastagens; como por exemplo: as cilagens que é uma ótima forma de armazenamento, que guardar essa ração por até 2, 3, ou até mesmo mais anos. mas como sabemos o sertanejo é forte, com fé em Deus supera tudo. E mesmo assim somos felizes, um abraço e até a próxima...

lucivaldo disse...

Ola Sabrina Barbosa, bom dia,Muito bom seu texto, concordo em ponto e virgula com o que você relatou; eu também sou um desses fortes e resistentes sertanejos, sou funcionário público, más não esqueço minhas raizes, sou apaixonado pela zona rural, gosto de criar animais; tais como:gado, ovelhas, etc. Minha opinião diante do relatado é a seguinte; eu acho os políticos apáticos diante dessa questão, não se vê uma política preventiva para a grande questão SECA, hoje podemos vê a zona rural coberta de pastagens, mas aqui a seca é certa e o inverno é raro. Não se tem um incentivo do poder público quanto ao armazenamento dessa pastagens; como por exemplo: as cilagens que é uma ótima forma de armazenamento, que guardar essa ração por até 2, 3, ou até mesmo mais anos. mas como sabemos o sertanejo é forte, com fé em Deus supera tudo. E mesmo assim somos felizes, um abraço e até a próxima...