terça-feira, 1 de julho de 2014

Convenção PSB: Ricardo não anuncia vice e diz que foi traído por "safado"

O governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), chegou ao Forrock por volta das 20h15 para a convenção socialista. A chapa encabeçada por ele e com o petista Lucélio Cartaxo disputando o Senado Federal ainda precisava revelar outro nome: o do candidato a vice. Mas o evento terminou sem que essa lacuna fosse preenchida. A coligação encabeçada pelo PSB teve o apoio do PT, dos Democratas, PHS, PCdoB, PV, PRP, PSL, PPL, PDT e PRTB.
Em seu discurso, Ricardo elogiou os aliados do PT, representados no palco por Luciano e Lucélio Cartaxo, que também fizeram discursos. O socialista disse que a composição celebrada com os petistas era motivo de orgulho: "Não temos vergonha. Temos é orgulho dessa aliança porque a História nos cobra respostas e do outro lado não estão as forças do bem, mas aquelas que querem se servir do povo e não servir ao povo. No nosso palanque temos a honra de andar de cabeça erguida. O que nos move é o trabalho. Aqui não tem promessa falsa nem tapinha nas costas. O que o candidato do outro lado conseguiu fazer pela cidade de vocês? Só distribuir cheques em época de eleição tentando ganhar votos. Nós não distribuimos cheques da FAC para tentar ganhar eleição. Vamos mostrar muita coisa que o povo não sabe. Sofremos boicote em três anos e meio e vamos mostrá-lo no programa eleitoral. Fizemos quatro vezes mais do que eles fizeram no dobro do tempo. Isso os irrita e os leva à violência. Já me chamaram para a briga como se eu fosse um moleque, mas eu estou acostumado com isso".
Em outro ponto, o governador deixou claro que não vai abrir mão da campanha de Eduardo Campos, como pressionou o PT nacional em resolução aprovada pela executiva nacional na semana passada: "Esse é um palanque com mais de um candidato a presidente. É natural que os companheiros do PT peçam votos para Dilma e que nós do PSB apostemos todas as fichas em Eduardo Campos para governar esse país. Vamos ter a capacidade de não fazer com que isso atrapalhe a nossa eleição e de Lucélio. Não vamos permitir o atraso nem no Brasil e nem na Paraíba. Para isso, vamos estar juntos e misturados".
Safado - Sem citar o nome do vice-governador, Rômulo Gouveia (PSD), que anunciou na última sexta-feira o rompimento com o PSB e a aliança com o PSDB de Cássio Cunha Lima, Ricardo Coutinho reservou para ele o trecho mais contundente de sua fala. "O povo da Paraíba presenciou várias traições neste processo. Não é possível que alguém converse com você às 9h30 da manhã e diga que está tudo bem e às 11h30 diga que está tudo mal. Essa pessoa não sabe o que quer da vida? Sabe sim. Sabe ser safado! Mas, isso nos põe para frente porque enquanto houver esse tipo de gente, sabemos que precisamos estar nas ruas para derrota-lo. Nossa tarefa é essa".
Parlamento PB

Reações:

0 comentários: