sábado, 19 de julho de 2014

Opinião: Avaliando os perfis Cássio X RC

Pelo andar da carruagem, a eleição deste ano na Paraiba tem tudo para terminar mesmo nos tribunais. O principal alvo tem sido o candidato do PSDB ao governo do Estado, senador Cássio Cunha Lima que tem vários pedidos de impugnação. Cássio já usou as redes sociais para garantir que e elegível porque já cumpriu o prazo de inelegibilidade e já apresentou certidão do TSE atestando que ele está quites com a Justiça Eleitoral. Apesar disso, vai ter que conviver com esse problema de impugnação de candidatura durante toda a campanha, porque os adversários não vão parar de dar entrada com ações na Justiça querendo afastar o senador da disputa. Por medo? Acredito que sim.
Mesmo o seu maior adversário (RC) tendo grandes vantagens nas suas apresentações técnicas com números que comprovam a ‘força do trabalho’, a simpatia e a forma de fazer política de Cássio Cunha Lima caiu na graça do eleitorado paraibano há muito tempo. Cássio é bom nas urnas, é bom de voto. E com essa matemática que nunca deu erro, os ricardistas temem um final tenebroso.
Vamos falar de RC. Sabe-se que o tema e o lema da campanha do socialista será voltado em números de obras, de investimentos, de trabalho. Porque aquele velho ditado, contra fatos não há argumentos, faz bem a cara dos socialistas que não sabem fazer discursos acalorados, emotivos, sensacionalistas. Pelo contrário, Ricardo Coutinho é realista, pé no chão e sem nenhum pouco de simpatia, se esconderá por traz de seus números e tentará com isso levar a vitória às urnas. Mas para isso ele terá uma missão quase impossível, aplicar a fórmula racional no eleitorado paraibano, que até então, leva o lado emocional às urnas. Um Pecado!!!
O único defeito de RC e que vai cair como luva nas mãos dos adversários, é que o socialista vem usando os cargos do Governo em benefício de sua campanha eleitoral. A demissão de dezenas de servidores estaduais da Educação, saúde, e outros setores, amargou boa parte dos paraibanos e foi divergente do que no início de seu discurso antes de entrar no Governo, falara.
Coutinho deixou gravado na imprensa as seguintes frases: “A marca do nosso governo com o servidor serão o diálogo, negociação e respeito ao serviço público.Essa é a marca de minha própria vida, como vereador, deputado e prefeito.” Outra: “ Chegando ao governo, posso garantir que dia 1º de janeiro acaba a perseguição ao servidor público na Paraíba. Pode anotar, pra comemorar depois. No dia 1º de janeiro, acaba na Paraíba a perseguição ao servidor.” E aí? O que houve com Coutinho? Essa pergunta fica no ar.
Sobre Cássio, os adversários precisam prestar atenção aos sintomas de canonização política. Os eleitores de Cássio - e isso já vem de biografia de líderes – costumam transformá-lo em fenômeno de adoração coletiva, uma espécie de santificação política, após a beatificação pela qual passou em 2010 e que se tornou ídolo na PB. Cássio caiu na graça de seus devotos e sem dúvida sua campanha será feita na base de muita emoção.
Como até agora não vimos os miúdos desta campanha, a torcida vai para que o eleitor mude seu comportamento com relação à eleições, porque os candidatos já estão com seus posicionamentos firmes e perfis atualizados.
Por Sabrina Barbosa

Reações:

0 comentários: