segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Política 2014: O Palanque é real, a Praça é que é virtual

A campanha eleitoral de 2014 será concentrada também na internet. Cada vez mais o uso das redes sociais vem ganhando simpatia pelos disputadores de cargos eletivos. As eleições nunca mais serão as mesmas. Pela primeira vez, as redes sociais estão sendo encaradas pelos candidatos como uma grande ferramenta de divulgação de propostas e interação com os eleitores.
Na Paraíba, nesse cenário tem encaixe com perfis em redes sociais tantos os candidatos a deputado federal, estadual, quantos os que disputam o senado e a cadeira maior do nosso executivo estadual, o cargo de Governador.Observamos a grande atuação virtual do candidato a governo Cássio Cunha Lima, que lidera nas ‘curtidas’, tendo em seu perfil 148.505 curtidas. O candidato a vice governador na chapa tucana, Ruy Carneiro, que mantém na rede um perfil político com 95.107 curtidas, também vem demonstrando boa habilidade nessa ferramenta virtual. Nessa mesma linhagem, o atual governador, Ricardo Coutinho que disputa uma reeleição, embora nas pesquisas de rua sua rejeição é preocupante , nas redes sociais esse cenário modifica um pouco. RC possui um perfil político na rede social Facebook, com 89.796 curtidas, bastante atuante virtualmente e freqüentado por muitos seguidores, que compartilham as postagens e transborda a rede com informações do governo, fazendo a propaganda gratuita do socialista.
Com postagens, compartilhamentos e curtidas na rede social Facebook – a mais popular – os candidatos a cargos eletivos na Paraíba travam uma batalha dura pelo eleitorado. O corpo a corpo perde espaço e o teclado vira uma ferramenta fundamental para o diálogo com o povo.
Como a campanha este ano continua gelada, sem aquela movimentação comum de carreatas, passeatas e comícios, o eleitor se reserva em esperar as apresentações dos candidatos pelo guia eleitoral e pelas redes sociais que também entram com objetivo de divulgar as ações, propostas e projetos dos candidatos. O guia eleitoral continua tendo seu papel fundamental no processo eleitoral, mas hoje em dia cerca de 70% da população da Paraíba tem acesso e participação direta nas redes sociais, por isto esta ferramenta se torna aliada de ambos os candidatos, e os eleitores compartilham fotos, agenda e informações da campanha, além dos vídeos, que também chamam atenção e adquirem um alto poder de circulação na internet e ganham rápida popularidade.
Os candidatos virtuais têm a total liberdade de apresentação, podem ter controle de rejeição e driblar as insatisfações dos eleitores e ainda podem utilizar da criatividade para produzir um perfil no estilo que o eleitor quer ver. Quem não é simpático pessoalmente torna-se atencioso ao internauta, quem é tímido, pode adquirir desenvoltura para responder aos internautas e por aí em diante. O marketing político nas redes sociais parte do pressuposto da criação de um relacionamento mais próximo entre o candidato e seu eleitorado.
É essa a ideia das mídias sociais, criar um canal rápido, fácil e barato para que o candidato possa dialogar com os eleitores e vice-versa. É essa última parte que faz toda a diferença nas campanhas de marketing eleitoral nas redes sociais; o retorno do candidato para os eleitores, e nesse contexto o palanque é real, mas a praça é que é virtual.
Por Sabrina Barbosa

Reações:

0 comentários: