quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Operação combate crime em 16 municípios da PB

Em uma operação realizada em 16 municípios da Paraíba reunindo todas as forças policiais, 13 pessoas foram presas em flagrante, um adolescente foi apreendido e nove mandados de prisão foram cumpridos. Essa ação fez parte do projeto 'Brasil Integrado – Etapa Nordeste', iniciativa do Ministério da Justiça (MJ) que consiste em ações de combate à criminalidade em todos os Estados da região, com foco na repressão qualificada, principalmente de quadrilhas especializadas em roubos e explosões de agências bancárias. O objetivo do MJ é solidificar essa ação e, no próximo ano, criar um Centro de Comando de Controle em cada Estado para coibir de forma eficaz a criminalidade.
Nessa operação realizada na Paraíba, a primeira do projeto 'Brasil Integrado – Etapa Nordeste', participaram a Polícia Civil, Militar, Corpo de Bombeiros, Polícia Federal, Rodoviária Federal, Exército e equipes da Agência Brasileira de Inteligência (Abin). Na Paraíba, as ações foram concentradas em 16 cidades - Massaranduba, Queimadas, Natuba, Umbuzeiro, Santa Cecília, Alcantil, Picuí, Nova Floresta, Cuité, Nova Palmeira, Pedra Lavrada, Cubati, Santa Luzia, São Mamede, São José do Sabugi e Junco do Seridó.
Como resultado, a operação cumpriu nove mandados de prisão, prendeu 13 pessoas em flagrante, apreendeu um adolescente, e realizou 750 abordagens – das quais 394 foram a pessoas e 329 a carros. Destes, foram apreendidos oito motos, dois ônibus e 17 caminhões. Também durante as ações policiais, uma pistola e uma espingarda foram apreendidas e ainda seis munições. Para a realização dessa etapa do projeto do MJ na Paraíba, foi empregado um efetivo de 288 agentes de segurança, que formaram 23 bloqueios policiais. Também durante a operação, 38 locais foram fiscalizados, dos quais oito foram autuados quanto à presença de explosivos.
Conforme o delegado geral adjunto da Polícia Civil da Paraíba, essa ação proposta pelo Ministério da Justiça é um desdobramento das ações anteriormente nomeadas de 'Divisa Segura', que já eram realizadas nas divisas da Paraíba e tinham como objetivo essa repressão qualificada ao crime. “A diferença agora é que é uma articulação maior, envolvendo todas as forças policiais e de inteligência no combate à criminalidade.
Além disso, agora teremos comitês estratégicos que promoverão formações e darão estrutura a essas operações. Nossa avaliação disso tudo é muito positiva”, disse o delegado geral que, na manhã de ontem, participou de uma reunião em Brasília com representantes dos demais Estados do Nordeste para fazer uma primeira avaliação dessas operações. “É importante destacar que as ações realizadas na Paraíba visam coibir o uso, a venda e o manuseio de explosivos, evitando que este material chegue às mãos de criminosos que fazem parte de quadrilhas especializadas em explosões a bancos”, complementou Gualberto.
Ainda segundo o delegado geral adjunto da Polícia Civil, a previsão é que essa seja apenas uma etapa para que muitos outros investimentos em segurança sejam direcionados para o Estado. “Ainda não temos certeza quanto ao montante de recursos que será repassado, mas a previsão é que até o ano que vem a Paraíba tenha instalado um Centro de Comando de Controle. Ainda estamos na parte operacional e integrada, o que é necessário para fazer um trabalho ainda mais eficaz”, argumentou.
Na opinião do secretário de Segurança e Defesa Social do Estado, Cláudio Lima, a previsão é que o Estado ganhe cada vez mais investimentos em segurança nos próximos anos. “A começar pelos R$ 30 milhões em radiocomunicadores, que já temos em caixa. Esse é um projeto importante e estruturante, um investimento pesado que o Estado nunca teve”, garantiu.
G1PB

Reações:

0 comentários: