terça-feira, 7 de outubro de 2014

Cássio mira o PMDB e diz que sucessão nacional não afetará aliança entre partidos

O senador Cássio Cunha Lima (PSDB), candidato ao Governo do Estado pela coligação “A vontade do Povo”, afirmou em entrevista coletiva, na sede da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan), na tarde desta segunda-feira (6), que a disputa presidencial não deverá criar dificuldades para uma possível aliança com o PMDB paraibano, neste segundo turno. “Vamos intensificar o nosso trabalho na busca da unidade das oposições paraibanas para que possamos discutir um projeto, agora ampliado com a participação de um número maior de partidos e lideranças para que com esta unidade possamos ampliar o nosso trabalho, principalmente na apresentação das propostas que possam ser colocadas em prática no Estado”, disse.
Segundo Cássio, a maioria dos Estados brasileiros não consegue manter o alinhamento político-partidário com a disputa nacional. Ele citou como exemplo o caso do deputado federal Aguinaldo Ribeiro (PP), ex-ministro das Cidades e membro do grupo político da presidente Dilma Rousseff (PT), que votou com ele no primeiro turno das eleições.
“Nos Estados é difícil se registrar uma coerência política. Tem lideranças e eleitores meus que votaram na presidente Dilma, mas também tem lideranças e eleitores do meu adversário [o governador Ricardo Coutinho (PSB)] que votaram ou que vão votar no candidato Aécio Neves (PSDB) para presidente. Isso é normal”, afirmou.
O candidato tucano ainda agradeceu aos 937.009 votos (46,05%) paraibanos que votaram com ele no primeiro turno e pediu a renovação da confiança para o segundo turno. Ele afirmou que a estratégia para conseguir uma nova vitória será o de convocar e renovar o pedido de apoio da sua militância e de conseguir mais adesões e o voto das pessoas que optaram por votar em branco, nulo ou que se abstiveram no pleito deste domingo (5).
Sobre a derrota em alguns dos principais colégios eleitorais, entre eles, a capital João Pessoa, o candidato tucano preferiu enaltecer os percentuais conquistados nestes municípios. “Não existe diferença entre o eleitor do grande ou do pequeno centro. Eu percebi um equilíbrio na disputa, perdemos em João Pessoa, mas vencemos em Campina. Tivemos resultados expressivos em toda a Paraíba”, disse.
Cássio ainda acusou o seu principal opositor de utilizar a máquina estadual no processo eleitoral. “Nunca se viu na história da Paraíba tantos abusos de poder econômico e político como se viu nesse processo recente, principalmente na eleição de ontem. Confiamos firmemente na isenção, na independência do Poder Judiciário, sobretudo, da Justiça Eleitoral, do Ministério Público Eleitoral para coibir os abusos que foram identificados de forma escancarada”, afirmou.
Wilson Santiago
A entrevista coletiva contou com as presenças do candidato a vice-governador, Ruy Carneiro (PSDB) e do ex-senador Wilson Santiago (PTB), derrotado nas últimas eleições, entre outras lideranças. O petebista confirmou que manterá a aliança com Cássio também no segundo turno. “Eu mantenho a minha posição, não sou de mudar de lado a todo instante e não é um resultado de eleição que mudará a minha opinião”, disse Santiago.
VITRINE DO CARIRI

Reações:

0 comentários: