terça-feira, 21 de outubro de 2014

PESQUISAS….IPESPE ( Cássio) X IBOPE (Ricardo) – Por Walter Santos

Faltando uma semana para a eleição de segundo turno na Paraiba, os novos números apresentados pelo IBOPE, sob contrato das TVs Cabo Branco e Paraiba, apontam a liderança do governador Ricardo Coutinho nas intenções de voto com 48% contra 42% em favor do candidato Cássio Cunha Lima. Na verdade, tomando por base os critérios do Tribunal Superior Eleitoral de apontar apenas os votos válidos, Ricardo teria 53% dos contra 47% em favor de Cássio.
Cada instituto utiliza de metodologias próprias, portanto a captação de dados e a sistematização e leituras do campo têm significado distinto do ponto-de-vista da estruturação da pesquisa.
Mesmo dentro deste contexto, chama a atenção o fato de que os números do IBOPE reproduzem cenário exatamente contrário ao que divulgou o Instituto IPESP, de Pernambuco, no meio da semana onde Cássio aparecia 53% das intenções de voto enquanto Ricardo surgia com 47%. Ora, diante de tamanho confronto de números, há de se admitir que algo de errado está em curso e/ou sendo processado porque inexiste mudança de tendência eleitoral, em tese, em tão pouco tempo – dois dias, aliás.
Em síntese, é preciso apurar, investigar e dar uma explicação plausível para tamanho descompasso.
NA HIPÓTESE DE…
Os números do IBOPE, já contestado pela campanha do candidato Cássio Cunha Lima, em tese sugere o entendimento de que eles captaram a adesão do PMDB nas pessoas do senador eleito José Maranhão, do senador Vital Filho, do lider Roberto Paulino e do deputado federal eleito Veneziano Vital.
Leve-se também em conta o fator Dilma Rousseff, ou seja, a vinculação da candidatura do socialista com a presidenta.
A márgem de acréscimo exposto pelo instituto em favor do candidato do PSB gera a lógica de abrigar os novos apoiadores fazendo efeito.
A ADESÃO DE PESO DE CICERO
Avaliações conflitadas ensejam investigação
O anúncio em Campina Grande do senador Cícero Lucena que passa a se engajar na campanha de Cássio é fator importante nesta reta final do processo podendo significar fator decisivo na redução, se houver, da diferença de Ricardo sobre Cássio.
Em estando motivado e nas periferias, onde é muito mais forte, Cícero pode fazer a diferança.
Ainda voltaremos ao tema.
O FATOR AÉCIO
Se é factivel admitir que Dilma reforça Ricardo, o mesmo dir-se-ia (eita hoje a turma da Torre está exagerando na mesóclise) de Aécio em relação a Cássio por toda a afinidade que os dois têm em nivel partidário, de formação e afeições amigas.
Cássio fez Aécio vencer em Campina Grande daí indagar: vai conseguir estender para todo Estado? Na Capital?
A resposta para estas perguntas vamos saber dia 26 dentro das urnas.
A COMPETENCIA DE RC
Com todas as contestações que possam ser feitas, não dá para ignorar a habilidade de Ricardo de atrair Luciano Cartaxo e o PT para perto dele no primeiro turno, o que vitaminou sua campanha na Capital, e na segunda fase pular para Dilma e atrair o PMDB.
Desejos e emoções não interferem na lógica da política real existente.
EM JOÃO PESSOA
Mesmo levando em conta os números do IBOPE, é visível a olhos nus o crescimento do número de carros adesivados em favor do Tucano.
O que isto representa?
SEM CRISE
O candidato do PSB tirou de letra as insatisfações localizadas no PT a lhe apoiar nesta campanha eleitoral desfazendo clima de crise.
ÚLTIMA
“Quem ri por último ri melhor…”
Por Walter Santos

Reações:

0 comentários: