quarta-feira, 15 de outubro de 2014

PSF do Cruzeiro realiza campanha de combate à sífilis

Com o objetivo de conscientizar, divulgar os modos de prevenção e reduzir o número de casos de sífilis em Princesa Isabel, a equipe de saúde do PSF do Bairro do Cruzeiro, por meio da secretaria de saúde realizou nesta quarta-feira (15)uma mobilização de prevenção e testagem de sífilis. A campanha foi voltada para a população em geral.

A ação visa conscientizar o Dia Nacional de Combate à Sífilis.O trabalho tem a finalidade de incentivar o diagnóstico e tratamento da doença.
Segundo informações do Médico da unidade, Dr. Eduardo Carvalho (foto), nesta manhã foram desenvolvidas ações como palestras educativas, aconselhamento, distribuição de material informativo e de preservativos masculinos e femininos, além da realização de exames com testes rápidos de sífilis.
A campanha se concentrou durante todo o dia de hoje na Unidade de Saúde do Cruzeiro, mas segundo a secretaria de Saúde, durante todo o mês dúvidas e orientações, além de encaminhamentos serão feitos. Dr. Eduardo disse durante entrevista ao Jornal da Princesa (Rádio Princesa AM) que informações gerais sobre a sífilis serão fornecidas pela equipe de saúde do PSF do Cruzeiro à população princesense, durante todo o mês, no intuito de conscientizar sobre o diagnóstico precoce e o tratamento, oferecido pela rede pública de saúde do município.
“O nosso foco inicial é detectar todas as gestantes, ainda no primeiro trimestre de gestação, que estão contaminadas e tratá-las para que a doença não seja transmitida ao bebê, o que chamamos de transmissão vertical”, explica o médico da Unidade.
A Sífilis
É uma doença infecciosa causada pela bactéria Treponema pallidum. Podem se manifestar em três estágios. Os maiores sintomas ocorrem nas duas primeiras fases, período em que a doença é mais contagiosa. O terceiro estágio pode não apresentar sintoma e, por isso, dá a falsa impressão de cura da doença.
Todas as pessoas sexualmente ativas devem realizar o teste para diagnosticar a sífilis, principalmente as gestantes, pois a sífilis congênita pode causar aborto, má formação do feto e/ou morte ao nascer. O teste deve ser feito na 1ª consulta do pré-natal, no 3º trimestre da gestação e no momento do parto (independentemente de exames anteriores). O cuidado também deve ser especial durante o parto para evitar sequelas no bebê, como cegueira, surdez e deficiência mental.
A sífilis pode ser transmitida de uma pessoa para outra durante o sexo sem camisinha com alguém infectado, por transfusão de sangue contaminado ou da mãe infectada para o bebê durante a gestação ou o parto. O uso da camisinha em todas as relações sexuais e o correto acompanhamento durante a gravidez são meios simples, confiáveis e baratos de prevenir-se contra a sífilis.
SB

Reações:

2 comentários:

Risoneide disse...

É interessante que deixe frisado a participação atuante do CTA nestas mobilizações que a Secretaria de Saúde promove a população em conjunto com os PSFs, com equipe de Psicóloga e Laboratorista realizando a testagem rápida para HIV, Sífilis e Hepatites B e C, o Pré e Pós aconselhamento realizado pela Psicóloga.

Carvalho disse...

Sem duvidas gostaria de novamente agradecer ao empenho e competência de toda a equipe do CTA e de todos os profissionais (psicólogos e laboratoristas) que engradecem e otimizam sobremaneira as ações de saúde junto aos PSFs para a população!
Eduardo Carvalho.