segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Ricardo avalia vitória como a mais difícil da sua vida política

O governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), avaliou a campanha que resultou na reeleição como a mais difícil da sua trajetória política. A declaração foi dada em entrevista coletiva em um hotel na orla de João Pessoa, na noite deste domingo (26). O socialista agradeceu aos eleitores pelos mais de 1 milhão de votos que recebeu.
“Essa caminhada foi muito difícil, talvez tenha sido a caminhada mais difícil que eu, particularmente, tenha feito ao longo da minha vida, ao longo dessa história política”, disse Ricardo Coutinho. “Foi uma disputa entre o fazer e o prometer, entre o conteúdo e a embalagem”, continuou o governador, criticando diretamente o senador Cássio Cunha Lima (PSDB), derrotado por ele .
No pleito deste domingo o socialista alcançou a reeleição com 52,61% dos votos válidos, um total de 1.125.956 votos; contra 47,39% (1.014.393 dos totais) do candidato tucano.
Durante a entrevista, o governador também afirmou que vai conseguir ter governabilidade para sua gestão com o apoio dos aliados no Congresso Nacional e também na Assembleia Legislativa. “Tivemos uma vitória bonita, uma vitória maiúscula, uma vitória que consolida uma posição na Paraíba: que nenhum de nós é imbatível, que o povo elege e tira quem acha que deve tirar", disse.
Ricardo citou ainda a aliança partidária que fez, destacando principalmente o PT e o PMDB, este último passou a apoiar o governador apenas no segundo turno. “Não fizemos uma aliança s para ganhara a eleição, fizemos uma aliança programática. É mais do que uma aliança eleitoral e tem que ser de governabilidade.”, declarou o governador.
PSB precisa de momento de imersão
O governador também falou sobre os rumos do seu partido em nível nacional. No segundo turno após a direção do PSB decidir apoiar a candidatura de Aécio Neves (PSDB) ele declarou que ficaria do lado da presidente Dilma Rousseff (PT) e foi liberado para isso. Agora, Ricardo afirmou que o partido precisa rever suas posições.
“Acho que o PSB, antes de qualquer coisa, precisa de um momento de imersão, para que a gente possa discutir de uma forma mais profunda todos os fatos que aconteceram conosco. Para onde o PSB foi? Qual foi o impacto da candidatura de Marina? Porque descemos rapidamente, porque fizemos uma opção como aquela [apoio a Aécio] no segundo turno?Nós temos a condição de estabelecer um novo diálogo programático”, pontuou.
Quem é Ricardo
Com 53 anos, Ricardo Vieira Coutinho é natural de João Pessoa. Formado em Farmácia pela Universidade Federal da Paraíba, o governador reeleito iniciou a carreira política no movimento estudantil. Ele também teve atuação no movimento sindical, atuando na presidência do Sindicato dos Farmacêuticos e como fundador do SindSaúde. Fundou o Departamento de Saúde da Central Única dos Trabalhadores da Paraíba (CUT-PB).
Em 1990 disputou uma eleição pela primeira vez, mas não conseguiu a vaga na Assembleia Legislativa, ficando como suplente. Em 1992 foi eleito vereador em João Pessoa e dois anos depois tentou mais uma vez ser deputado e voltou a ficar na suplência. Já em 1996, conseguiu a reeleição na Câmara Municipal da capital.
Mantendo a rotina de disputar todas as eleições, Ricardo foi mais uma vez candidato à Assembleia em 1998 e dessa vez obteve sucesso. Em 2002 conseguiu a reeleição com uma votação histórica de 47.912.
No ano de 2004 deixou a Assembleia para concorrer à prefeitura da capital. Em uma aliança com o PMDB, conseguiu um expressivo resultando derrotando Ruy Carneiro (PSDB) no primeiro turno. Quatro anos depois foi reeleito prefeito, mais uma vez sendo eleito em primeiro turno.
Em sua trajetória como prefeito da capital, recebeu diversos prêmios, entre eles, o prêmio “10 Melhores Práticas de Gestão para o Desenvolvimento Humano na América Latina e Caribe”, em 2007, através da Fundação Habitat, em virtude da redução do consumo de água nos órgãos municipais. Já em 2006 foi homenageado com o prêmio 'Prefeito Empreendedor', título em nível regional, conferido pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) em resultado da criação do Programa Municipal de Apoio aos Pequenos Negócios (Empreender-JP).
No começo de 2010 Ricardo deixou a administração municipal para se candidatar ao governo do Estado. Em uma aliança com Cássio Cunha Lima, ele derrotou o então governador José Maranhão e conquistou o comando do Executivo estadual.

Reações:

0 comentários: