sexta-feira, 21 de novembro de 2014

TCU constata déficit de 808 professores no Estado da Paraíba

Professores das disciplinas de Física, Química e Matemática estão se tornando cada vez mais raros nas escolas de Ensino Médio da rede estadual. Isso é o que mostra um relatório divulgado pelo Tribunal de Contas da União (TCU) na semana passada na Câmara dos Deputados que aponta que, ao todo, a Paraíba sofre hoje um déficit de 808 professores nestas e em algumas outras áreas.
O relatório ainda projeta um saldo negativo de 1.066 vagas nas salas de aula para 2016. Ao todo, a carência de professores chega a 32.738 profissionais em praticamente todas as unidades da federação.
Na Paraíba, em específico, a primeira especialidade em que se observa uma carência desses profissionais é Física, onde o déficit chega a 294 professores.
Em segundo lugar na Paraíba está Química, com um saldo negativo de 231 professores. Depois vem Matemática, com déficit de 139 profissionais; Sociologia, com 81 a menos; Filosofia, com 45; Artes, com 12; e Biologia, com seis. Conforme o relatório, em 2012, apesar da ausência de 808 profissionais com formação específica, a Paraíba possuía 1.187 professores atuando no ensino médio sem formação específica.
Na opinião do presidente da Associação dos Professores de Licenciatura Plena da Paraíba (APLP), Francisco Fernandes, a carência parte, primeiramente, da necessidade de se fazer mais concursos. De acordo com o relatório do TCU, 53% dos professores empregados nas escolas públicas em 2012 eram conveniados por meio de contratos temporários.

Reações:

0 comentários: