sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Diretor da AESA diz que Transposição traz segurança hídrica para a PB, mas não será de graça: ‘vamos pagar pelo uso da água’

A afirmação é do diretor-presidente da Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (AESA), João Fernandes, que comentou que a transposição do Rio São Francisco vai trazer a segurança hídrica para a Paraíba também, mas destacou que a água do velho chico não virá de graça, e que o dinheiro emprestado para realizar a obra vai ter que ser pago. Em entrevista Fernandes destacou que a transposição é como uma torneira na caixa d’água e que quando a caixa estiver cheia pode fechar a torneira. “A gente colocando água em Monteiro vem uma adutora da borborema complementar o cariri todo. Vão ser de 1,5 mil a 2 mil litros por segundo, isso está sendo projetado, na direção de Campina Grande, se Boqueirão está cheio, deu estabilidade”, diz.
Fernandes destacou que vai cuidar desta tarefa e que é preciso criar uma infraestrutura para receber a água que não é de graça. “tem bombeamento, estação elevatória também. O investimento vai se de R$ 10 bilhões. Se os estados do Nordeste tomam dinheiro emprestado vai ter que ser pago e não vai cair do céu como a água, sai dos orçamentos e também o uso da água terá que ser pago”, explica.
A Aesa cuida de 124 açudes e vai ter que cuidar das ‘águas federais’ que virão para a Paraíba, explica Fernandes.
SB com Paraíba.com

Reações:

0 comentários: