sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Governo Federal fecha posto da CONAB em Princesa Isabel e decreta fim da compra subsidiada

O Governo Federal através da Superintendência Regional da Companhia Nacional de Abastecimento – CONAB, enviou um ofício à Prefeitura de Princesa Isabel, informando sobre a não renovação da portaria interministerial que garantia a venda dos produtos subsidiados no município. Através do ofício, a CONAB esclarece que não será mais possível fornecer a venda do produto de milho em grãos no Programa Venda Balcão Especial que tinha a parceria com a Prefeitura de Princesa há quase um ano.
O Prefeito de Princesa Isabel, Dominguinhos (PSDB) lamentou a decisão do Governo Federal, tendo em vista que foi uma luta intensa da gestão municipal para conseguir a instalação de um posto da CONAB no município. Princesa Isabel é pólo na região e tem mais de 400 agricultores cadastrados que se dirigiam até a cidade de Patos para fazer a compra subsidiada.
Através do ofício, o Governo Federal ainda comunica o fim da compra subsidiada. Ou seja, os grãos fornecidos no Posto da Conab em Patos, serão vendidos à preço normal de mercado, sem os descontos.
O local onde funcionava a Conab em Princesa Isabel será devolvido ao município bem como os materiais de funcionamento do mesmo.
O secretário de agricultura, Ivonildo Fernandes também lamentou a decisão do Governo Federal, já que o Posto da Conab vinha aliviando o sofrimento do homem do campo na região, que tinha acesso aos grãos de forma mais rápida pela facilidade de acesso.
SB

Reações:

1 comentários:

José Ivonildo disse...

Nobre Sabrina, o fechamento do Polo de venda subsidiada do milho da CONAB em Princesa, é um descaso do Governo Federal com aqueles que produzem o alimento que chega até nossas mesas. Será um tormento na atividade do pequeno produtor rural. O milho que era vendido por 50 % abaixo do valor de mercado, que hoje já passa dos R$ 40,00 fez com que os criadores aumentassem o rebanho, melhorando a renda familiar, bem como a oferta e preço aos consumidores. Lamento ainda porque eram atendidas oito cidades da região, de Manaira até Maturéia, o que injetava de alguma forma, recursos na economia local. Para se ter uma idéia do prejuízo, só em Princesa, subiu de 38 para 250 o número de criadores atendidos pelo polo. Além do custo elevado do milho, que é base alimentar na criação de animais, ainda há previsão de inverno irregular conforme relatório emitido pela AESA. Essa não era hora do Governo fechar Polo de ajuda ao agricultor familiar.