sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Opinião: O Verdadeiro papel da oposição na democracia atual. Ajuda ou desconstrói?

O tema nos faz pensar sobre o comportamento daqueles representantes políticos que não fazem parte da base governista e estão de fora do comando. Será que o papel da oposição está ajudando o nosso país a ser mais sério? Ou ainda vivemos naquela velha política de, “quem está fora quer entrar e quem está dentro não quer sair”?
Ao analisar o papel dos representantes da oposição no Congresso Nacional, por exemplo, vimos que a maioria dos parlamentares não concordou com a política econômica apresentada pelo Governo Petista e houve uma reviravolta nos debates. Os inúmeros impostos e aumentos da inflação para conseguir equilibrar a economia e conseguir aumentar a arrecadação nacional, não foram bem vistos pelos opositores de Dilma.
Por outro lado, houve aqueles que nada expuseram sobre o tema, apenas afirmando que o Brasil necessita de uma alternância de poder e que outros partidos solucionariam o problema da nação. Cada um vendendo seu ‘peixe’ e fazendo festa com cada escândalo novo no país, trabalhando naquela mesquinharia de quanto pior, melhor.
A oposição deve exercer uma real fiscalização a incidir sobre os detentores do poder político a importância de se garantir que o Estado respeite e preserve, de maneira plena e integral, os direitos fundamentais dos cidadãos. A luta da oposição deve ser esta e o embate é normal como regra de debate democrático. Mas não se pode agregar a um papel público o ego pessoal ou partidário, como fazem a maioria dos que atuam no cenário oposicionista.
Desejar que uma gestão proceda de mal a pior, ao invés de sugerir, desejar que novos escândalos aconteçam para vangloriar que seu partido faria diferente, desejar uma cassação de mandato apenas por vaidade política para ter uma brecha de entrar no poder sem passar pela escolha democrática, é no mínimo desconstruir a cidadania.
Os partidos de oposição devem ser ousados sim, e estarem vigilantes quanto aos interesses comuns da população e não apenas servir ao seu partido. Cabe às oposições não apenas desmascarar o cinismo político, mas ser favorável no caso de emendas e propostas relevantes para a comunidade, pois não se pode correr o risco de não aprovar uma matéria apenas para ser contrária a vontade da situação.
É preciso estabelecer uma coerência quanto ao verdadeiro papel de representar um povo afinal às oposições políticas se nada ou pouco tiverem a ver com as múltiplas demandas do cotidiano, como acumularão forças para ganhar a sociedade?
Por Sabrina Barbosa

Reações:

0 comentários: