sexta-feira, 5 de junho de 2015

A pouco mais de 20 dias do São João, falta milho nos postos da Empasa em todo Estado

Canjica, pamonha, bolo milho, milho cozido e assado na brasa. Você já imaginou o São João sem as comidas típicas da região? A estiagem que afeta o Nordeste nos últimos anos pode ser o motivo para a Empasa (Empresa Paraibana de Abastecimento e Serviços Agrícolas) está encontrando dificuldade para encontrar produtores de milho verde para vender o produto nos entrepostos.
De acordo com a assessoria da Empasa, não estão sendo cobradas as taxas de entrada das portarias dos três entrepostos (João Pessoa, Campina Grande e Patos) aos produtores e comerciantes do produto. A medida vigorará do dia primeiro a 30 de junho, e visa incentivar os produtores/comerciantes a terem áreas de grande movimentação de consumidores para escoarem suas produções. Atualmente as tarifas praticadas para veículos acima de 1,3 toneladas estão a partir de R$ 8,70.
Mesmo assim, até o momento os produtores não estão aparecendo para vender milho na Empasa, e a empresa acredita que o motivo pode ser mesmo a falta do produto por causa da seca, que dificulta a produção. O presidente da Empasa, engenheiro José Tavares Sobrinho, está esperançoso que o milho apareça nos próximos dias, mesmo com a escassez das chuvas no Estado.
“A estiagem vem se prolongando há anos, mas como é tradição termos a pamonha, a canjica, o bolo de milho na mesa do nordestino nesta época, o produto deverá aparecer, pois muitos são procedentes de áreas irrigadas de outros estados como Rio Grande do Norte e Ceará”, revelou o presidente. Com relação aos preços, Tavares informou que só poderá ter uma ideia com a proximidade das datas dos santos juninos (Santo Antônio, São João e São Pedro). No ano passado, os valores da mão de milho (52 espigas) variaram entre R$ 25 e R$ 50.
Nos três entrepostos os estacionamentos são amplos e gratuitos para os consumidores.
PBAgora

Reações:

0 comentários: