sábado, 27 de junho de 2015

Projeto de delimitação de perímetro urbano é reprovado na Câmara de Princesa Isabel. Vereadores da situação lamentam o equívoco da oposição.

Em sessão ordinária, nesta sexta (26), o parlamento de Princesa Isabel-PB, reprovou com 5 votos dos vereadores (Givaldo Moraes, Neguinho da Lagoa, Célio de Zé Biró, Zé Filho, Irismar Mangueira) o projeto de lei nᵒ 014/2015, de origem do executivo, que dá nova delimitação ao perímetro urbano no município. O Projeto teve 04 votos à favor, dos vereadores (Rialtoam Araújo, Zé Arnaldo, Alaelson e Pacelli Mandu).
A matéria tramitava pela Casa em regime de urgência a pedido do prefeito Dominguinhos (PSDB), que alegou ser benéfico a delimitação, onde a população da Várzea passaria a ser beneficiada com obras, projetos e ações, ao se tornar área urbana.
O líder do governo, Vereador Rialtoam Araújo (PT), afirmou que "oposição politizou a votação, e que município vai perder diversas ações, entre elas o complexo de saúde, que está sendo construído na capoeira da Várzea. Com a manipulação da oposição e falta de coerência em apenas reprovar qualquer projeto do Executivo sem pensar no bem em comum, Princesa Isabel será prejudicada e muito." Destacou. Rialtoam, ainda negou que o governo tenha sido derrotado, e criticou a alegria da oposição em ter conseguido reprovar um projeto benéfico à população.
“Não é o governo de Dominguinhos que foi derrotado, não. É derrota do povo de Princesa! O prefeito, não perde, o prefeito não está sendo derrotado em nada. A única visão do prefeito neste sentido é beneficiar o povo! Então, quem está sofrendo esta grande derrota encabeçada pela oposição é o povo”. Completou Rialtoan.
Presente na sessão, a Secretária de Saúde do Município, Vitória Augusta também lamentou o equívoco dos vereadores de oposição e reafirmou que o Centro Especializado em Reabilitação não pode ser construído em área rural, e sim dentro do perímetro urbano, por isso a importante aprovação do projeto, que beneficiaria Princesa Isabel inteira. Vitória disse ainda que a negativa do parlamento traz um prejuízo pra população, que as obras em andamento pode parar e afirmou já ter recebido 20%, de um milhão, para construção CER - Centro Especializado em Reabilitação.
“Eu estive em Brasília, e a gente foi atrás da segunda parcela da obra da construção das unidades de acolhimento e do CAPS, e segundo o técnico do ministério, nenhum serviço de saúde mental deve ser construído dentro do perímetro da Zona Rural, e sim dentro do Perímetro Urbano. A política de saúde mental, ela é bem clara quando diz que nenhum usuário, ou pessoa que usa do serviço deva ser excluído ou afastado da sociedade [...], possivelmente nós iremos lutar para que a gente não perca este recurso. Iremos à Brasília, vamos entrar em contato com o Ministério da Saúde, por que quem perde é o povo de Princesa. Os vereadores, talvez, eles não tenham amadurecido ainda, a ideia e não sabem que estão trazendo um grande prejuízo a população que vai precisar deste serviço. Nós temos este serviço funcionando em casas alugadas, mas as obras estão em andamento e pode parar a qualquer momento por conta desta parcela”, alertou a Secretária de Saúde Municipal.
Para o vereador governista, Pacelli Mandú (PSDB), esta foi à primeira derrota do povo de Princesa, e não do poder executivo. Pacelli disse que o projeto foi politizado e que o prefeito vai procurar a justiça para que os munícipes não sejam prejudicados.
"Esta é a primeira derrota do povo de Princesa; essa sim! Infelizmente, o projeto foi politizado, e a gente tem que ter o cuidado, muito cuidado [...], como é que o prefeito vai conceder licença para novos loteamentos se a Câmara negou esse perímetro legal. Já existe uma realidade, os bairros existem, então mesmo que não tenha uma lei regulamentando eles não vão passar para zona rural, não. Aqui, os vereadores já aprovaram nome de rua, aprovaram bairros, e eu não vejo isso na zona rural. Então é apenas, uma obrigação legal. Mas, o prefeito vai procurar a justiça, para que a população de Princesa Isabel não seja prejudicada neste projeto”. Finalizou Pacelli Mandú.
SB

Reações:

1 comentários:

Laudenor da Silva Bezerra disse...

Vereadores, esses são os inimigos do povo, (palhaços)