quarta-feira, 2 de setembro de 2015

População aponta falhas do Governo Ricardo Coutinho em Princesa Isabel, e o acusa de cruzar os braços diante da crise hídrica.

Tem crescido nas redes sociais, postagens relacionadas à insatisfação da população de Princesa Isabel com a ausência do Governo do Estado em ações para amenizar a crise hídrica da cidade. A labuta da gestão municipal tem causado até alívio temporário, mas a Prefeitura trabalha com poucos recursos para contratação de carros-pipas emergenciais e as instalações das 20 caixas doadas pelo município não são suficientes. São gastos pela gestão municipal cerca de 40 mil mensal com carros pipas para abastecer as caixas que estão espalhadas pelos bairros.
Recentemente o Governo perfurou poços em Princesa Isabel, mas não instalou bombas, dificultando o processo de captação dessas águas.
O ex gerente do Orçamento Democrático e também Advogado, Dr. Rivaldo Rodrigues, mencionou em seu programa radiofônico Direito e Cidadania, transmitido pela Rádio Princesa AM aos sábados, alguns pontos falhos do Governo do Estado, com relação às demandas de abastecimento de água apontados pela população da 11ª Região da Paraíba.
Dr. Rivaldo, falou sobre o instrumento de participação popular denominado Orçamento Democrático Estadual, e relatou as quebras de promessas feitas pelo Governador Ricardo Coutinho.
"Porém entre a teoria e a prática a distância tem sido um grande abismo. A população desde 2011 tem colocado a questão da água como uma das três primeiras prioridades apontadas, ou seja, em 2011, 2012, 2013, 2014 e 2015 esse requerimento tem estado senão em primeiro, mas em segundo lugar, só tendo ficado em terceiro uma única vez. E o que tem sido feito nesse sentido, nos sete municípios que compõe 11ª Região Geoadministrativa, a saber; Manaíra, São José de Princesa, Princesa Isabel , Tavares, Juru, Água Branca e Imaculada?" Indagou Rivaldo.
O Ex Gerente do OD, ainda relatou a realidade dos municípios. "Imaculada, desde 2011, clama por água e o que conseguiu até agora foi a promessa de elaboração de projeto para construção de um açude. Portanto ainda precisa ir para o papel. Em Água Branca a comunidade de Lagoinha solicita a reforma de uma caixa d’água para aquela comunidade e até agora só promessas. Em Juru há solicitação de adutora para a comunidade de Dalmópolis, igualmente, não há nenhum projeto em andamento. Em Tavares há solicitação de pelo menos duas adutoras, sendo uma para o Quilombo de Domingos Ferreira e construção de açude no Distrito do Silvestre. Em São José de Princesa, desde 2011 que se clama por uma adutora do açude de Manaíra (Catolé) para a sede daquela cidade ou Construção de um açude, bem como, a comunidade de Saco dos Caçulas de Cima desde muito reclama e solicita um poço naquela região, porém até agora nada. Manaíra por possuir um bom manancial que abastece a cidade tem solicitado perfuração de poços, os quais chegaram, porém em pequena quantidade." relatou Dr. Rivaldo.
O princensense ainda foi adiante descrevendo à realidade de Princesa Isabel. "E deixei Princesa Isabel por último, por várias razões: Primeiro é preciso dizer que uma das primeiras reivindicações feitas em Princesa Isabel foi a substituição e ampliação da rede de distribuição de água. Essa reivindicação está sendo realizada, e isso é fato e se deve a participação popular, embora em algumas situações alguns queiram puxar a responsabilidade ou os méritos para si. Mas diga-se, registre-se foi um requerimento, um reclame, um pedido da população, do povo e que está sendo atendido." Destacou Dr. Rivaldo, que em seguida apontou as falhas do Estado em Princesa Isabel: "porém, como já sabemos, estamos vivenciando uma situação de emergência em razão do açude Jatobá II ter secado. E o que vem fazendo o Governo do Estado para minorar, diminuir esse sofrimento? O governo do Estado poderia colocar mais carros pipas e pagar por essas águas? Nos parece que o Governo do Estado colocou até agora apenas 02 carros pipas, se houver mais, que nos diga e mostre os representantes do Governo aqui da região. Será que os reclames de pelo menos os últimos 03 (três) anos não seria suficientes para alertar essa possibilidade de escassez de água em nossa região?" Indaga o Advogado.
Em seu programa, Dr. Rivaldo ainda coloca que " é verdade que o grande peso dessa responsabilidade está sobrecaindo diretamente no Governo Municipal, que embora tenha responsabilidade para com essa questão, não se trata de um favor ou bondade como querem alguns fazer crer, posto tratar-se de bem ou direito essencial a sobrevivência humana, e obrigação dos entes federativos, ou seja: Município, Estado e União, não é justo nem legal que o mais fraco suporte todo esse peso." Disse.
"A União, por seu turno, continua parada, morta, sem qualquer preocupação com essa situação. E o que o Governo Federal poderia fazer? Isso já estamos careca de saber: precisamos da adutora de Flores para Princesa Isabel. São penas 18km. E o que representa esse gasto para o Governo Federal. Quantos milhões já escoaram pelos dutos da Petrobrás, enquanto nosso povo sofre, padecem com a falta de água? E voltando a responsabilidade do Governo do Estado, é preciso que se diga que a perfuração de poços que esta sendo realizada é muito bom, porém não está sendo eficaz e não está resolvendo o problema imediato que é a agua. Não basta perfurar os poços, é preciso instalá-los, coloca-los em funcionamento, fazendo-os jorrar água. As pessoas vêm as máquinas perfurarem os poços, ver em alguns casos, a água fluir no equipamento, mas depois, não se instala as bombas. E ai? É preciso enviar carros pipas, colocar mais caixas d’água." Destacou Rivaldo Rodrigues.
Dr. Rivaldo deixou vários questionamentos no ar. E a repercussão foi até às redes sociais, com diversas pessoas apoiando à causa. Um protesto contra o Governo do Estado foi sugerido na rede social, para que no dia 07 de setembro à população faça um "panelaço marcial" para chamar atenção do Governo do Estado e do Governo Federal.
Outras indagações:
Em uma postagem no facebook, DR. Manoel Arnóbio, Advogado, também fez questionamentos ao Governo do Estado. Dr. Manoel falou sobre as rodocias, cadeia pública e água também. Ele escreveu: "As as rodovias que dão acesso de Princesa Isabel ou estão cheias de buracos, praticamente intransitáveis ou estão um verdadeiro matagal. A força do trabalho parece que não lembra da região de Princesa, não estar nem para o problema da fata d'agua no Município e as rodovias estão abandonadas expondo quem trafega a constantes riscos de vida. Com a palavra os defensores dos girassóis e da força do trabalho ( leia-se Governo do Estado)." Destacou na sua página pessoal.
Dr. Manoel Arnóbio ainda prosseguiu dizendo: " E A CADEIA PÚBLICA OS MUNICÍPIOS ESTÃO REFORMANDO COM UMA CONTRIBUIÇÃO DE R$ 10.000,00 DE CADA MUNICÍPIO DE ÁGUA BRANCA A MANAIRA E O ESTADO ABRIU DOS PEITOS E DEU 20 SACOS DE CIMENTO. " Frisou.
O debate ganhou grande repercussão e até agora não houve quem descordasse das opiniões dos dois advogados princesenses que iniciaram uma série de questões sobre as falhas do Estado no município. Aguarda-se agora que o Governo faça alguma coisa mais concreta e mostre serviço em Princesa Isabel agoira neste segundo mandato.
SB

Reações:

0 comentários: