sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Bancos da PB ficam sem depósitos e sem dinheiro nos caixas

O terceiro dia de paralisação dos bancários na Paraíba já causa uma série de transtornos à população. Apesar do movimento não ser intenso, como costumeiro, há queixas de falta de envelopes para depósitos e até de caixas eletrônicos com falta de cédulas. Em raros casos de bancos ainda com o serviço disponível, a fila para conseguir efetuar a operação desejável provoca uma espera incomum.
O presidente do Sindicato dos Bancários da Paraíba, Marcos Henriques, no entanto, contrapõe e assegura que os bancos têm obedecido à lei de serviços essenciais da paralisação. “Pela lei de greve a categoria tem que garantir o serviço essencial que é o de compensação. E isto tem sido feito. A categoria tem abastecido todo autoatendimento para que as pessoas possam fazer seus saques. Quanto à isso não há problemas.”
Marcos Henriques explica que, em caso de uma agência bancária não oferecer o serviço básico, a responsabilidade é do próprio banco. “Não compete ao sindicato, o banco tem que responder por isso. Não temos governabilidade diante desta situação. Mas asseguro que os bancos têm sido sim abastecido”, garantiu.
Ao todo 110 agências bancárias da Grande João Pessoa aderiram a paralisação. No estado, 91,49% das agências estão com os funcionários de braços cruzados. Apenas no interior do Estado, poucas unidades resistem.
A greve dos bancários é nacional e reivindica o fim do assédio moral, a contratação de mais bancários, o fim da terceirização, o fim da mesa única, projetos que visem a melhoria da saúde do trabalhador e estabilidade no emprego e o reajuste imediato de 32%, o que equivale as perdas nos bancos privados, e o reajuste escalonado em três anos, em cima das perdas nos bancos público, que ultrapassa os 90%.

Reações:

0 comentários: