quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Exército, bombeiros e PMs vão entrar na guerra contra o Aedes na PB

O Governo da Paraíba anunciou nesta quarta-feira (16) em João Pessoa, um plano de combate ao mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya em todo o estado. Segundo a secretária de Saúde do Estado, Roberta Abath, todo o efetivo da Polícia Militar, 150 homens do Corpo de Bombeiros e 260 militares do Exército, que atuam na Paraíba, serão capacitados para atuar no combate ao Aedes aegypti. A capacitação de todos os militares começa nesta quinta-feira (17). Além disso, um aplicativo para denúncia de focos do mosquito também foi lançado.
O governo, no entanto, não informou qual o valor que será investido nas ações anunciadas nesta quarta-feira.O secretario de Vigilância em Saúde do Governo Federal garantiu o repasse de verbas para as ações. Segundo Antônio Nardi, não faltarão recursos para o combate ao mosquito e dar segurança para a população.
O governador Ricardo Coutinho lembrou que é preciso celeridade do Governo Federal no repasse dos recursos necessários para a execução do plano. "A União não pode, efetivamente, lançar um plano e demorar, ninguém sabe quanto tempo, para poder liberar recursos que são parcos, que são poucos", disse o governador.
Como parte do plano de combate ao mosquito Aedes aegypti, foi lançado também um aplicativo para smartphones que utilizam o sistema androide. O aplicativo permite que o usuário envie fotos de possíveis focos do mosquito. A imagem vai para um banco de dados da Secretaria de Saúde, que dá a localização exata para os agentes atuarem no combate.
"No momento em que as imagens estão subindo para a base, nesse mesmo momento, já vão ser direcionadas para que as equipes possam entrar em ação e atacar esse foco de dengue", disse Krol Jânio, diretor da Companhia de Peocessamento de Dados da Paraíba (Codata).
Também será criado um centro de atendimento telefônico para tirar dúvidas e acompanhar gestantes e mães com bebês de até dois anos de idade. O início da operação do centro telefônico ainda não foi divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde.

Reações:

0 comentários: