terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Ubam diz que impeachment é um golpe contra a democracia

O presidente da União Brasileira de Municípios (Ubam), Leonardo Santana, disse que toda essa movimentação em torno do afastamento da presidente Dilma poderá se tornar nula, devido a princípios constitucionais que impedem a continuação do processo de impeachment. Ele garantiu que não há base legal para o processo e que não se pode afastar um chefe de Estado, sem haver provas de improbidade administrativa e corrupção, atendendo apenas aspirações políticas e interesses escusos.
“Qualquer cidadão poderia apresentar à Câmara um pedido de impeachment. No entanto, isso só pode ser feito com a apresentação de provas documentais ou da indicação de no mínimo cinco testemunhas que possam comprovar as acusações de crime de responsabilidade, sendo isso difícil porque a presidente Dilma é uma mulher honrada e muito honesta”. Disse Leonardo.
Segundo o dirigente municipalista, não foram praticados atos contra a segurança interna do país, nem contra o exercício dos direitos políticos, individuais e sociais, não há provas que afetem a probidade da administração pública e nem houve crime contra lei orçamentária.
“Irregularidades fiscais são práticas que acontecem na normalidade do exercício da administração pública, com o objetivo de atender o mercado interno e externo, não podendo configurar motivo suficiente para um impeachment”
“Por outro lado, não há nenhum indício de participação da presidente Dilma nos desvios praticados na Petrobrás. Muitas vezes o governante não é informado de tudo, pois a máquina é imensa e complexa. Até se que prove o contrário, a presidente Dilma é uma mulher extremamente honesta e conduz o país de forma honrosa” Disse ele.

Reações:

0 comentários: