quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

PB registra 790 casos suspeitos de microcefalia em 124 municípios

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) notificou 790 casos suspeitos de microcefalia, distribuídos em 124 municípios, de acordo com a 7ª semana epidemiológica de 2016, concluída nesta terça-feira (23). Dos casos suspeitos, foram confirmados 59 casos (7,47%). O maior número de casos notificados foi registrado por João Pessoa, com 313 casos, o que representa 39,62% do total de notificações do Estado, seguido de Patos (37), Sapé (22), Bayeux (24) e Conde (19).
Os 59 casos confirmados de microcefalia estão distribuídos em 27 municípios do Estado, sendo os mais atingidos, até o momento: João Pessoa (16), Cabedelo (4), Cacimba de Dentro (4), Campina Grande (3), Conde (3) e Santa Rita (3).
“O Ministério da Saúde considera que houve infecção pelo vírus zika na maior parte das mães que tiveram bebês cujo diagnóstico final foi de “microcefalia e/ou alterações do Sistema Nervoso Central, sugestiva de infecção congênita. Então, é importante esclarecer que desde a sexta semana epidemiológica de 2016 passamos a divulgar os casos confirmados, sem especificação do diagnóstico laboratorial para vírus zika, pois esses dados não representam o número de casos observados (magnitude)”, informou a gerente executiva de Vigilância em Saúde da SES, Renata Nóbrega.
Ainda de acordo com orientações do Ministério da Saúde, considera-se que todos os casos confirmados estão relacionados à infecção congênita pelo vírus zika. Todos os casos são avaliados individualmente e submetidos a um conjunto de exames de diagnóstico laboratorial e por imagem. Uma proporção muito pequena desses casos, após seguimento e análises específicas, é confirmada para outras causas.
Dos casos notificados na Paraíba, 18 evoluíram para óbito nos municípios de João Pessoa (4), Santa Rita (2), Sapé (2), Piancó (1), Conde (1), São Miguel de Taipu (1), São Bento (1), São João do Rio do Peixe (1), Campina Grande (1), Juazeirinho (1), Nova Olinda (1) e Parari (1).
SB/ASCOM

Reações:

0 comentários: