quarta-feira, 23 de março de 2016

Boletim confirma circulação da chikungunya em Princesa Isabel e Juru

Doze mortes com suspeitas por dengue foram notificadas pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) da Paraíba no período de 1º de janeiro a 18 de março deste ano, de acordo com o boletim divulgado nesta segunda-feira (21) pela SES.
Entre as mortes com suspeita de dengue, uma foi confirmada, uma descartada e dez seguem em investigação. Conforme a Gerência Executiva de Vigilância em Saúde da SES, a investigação envolve informações domiciliares, ambulatoriais e hospitalais, conforme Protocolo do Ministério da Saúde. Além disso, segundo o mesmo boletim, no mesmo período foram notificados 14.593 casos suspeitos de dengue. O número representa um crescimento de 507,78% em relação ao mesmo período de 2015, quando foram registrados 2.401 casos suspeitos.
No mesmo período foram notificados 396 casos suspeitos de chikungunya. Foram notificados também três óbitos suspeitos da doença nos municípios de Monteiro (1), São José do Umbuzeiro (1) e Santa Clara (1). Todos os óbitos seguem em investigação. A Paraíba conta atualmente com três Unidades Sentinelas do Zika Vírus, implantadas em Bayeux, Campina Grande e Monteiro. No período deste boletim, foram notificados 527 casos suspeitos. Quanto ao zika vírus, em 2015 foi detectada a doença aguda por este vírus nos municípios de João Pessoa, Campina Grande, Olivedos e Cajazeiras. Já em 2016, exames laboratoriais comprovaram a circulação da doença nos municípios de Caldas Brandão, Pilões, Itabaiana e Campina Grande.
Sobre a chikungunya, ano passado houve a confirmação laboratorial em Monteiro. Já este ano existem exames comprovando a circulação da doença em 26 municípios. São eles: Bayeux, Cajazeiras, Campina Grande, Capim, Conde, Coremas, Itabaiana, João Pessoa, Juru, Malta, Mogeiro, Monteiro, Patos, Pilar, Princesa Isabel, Riacho de Santo Antônio, Santa Cecília, Santa Luzia, Santana dos Garrotes, São Bento, São João do Tigre, São José de Espinharas, São Sebastião do Umbuzeiro, Sapé, Soledade e Teixeira.//

Reações:

0 comentários: