sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Por unanimidade, bancários deflagram greve por tempo indeterminado a partir do dia 6

Em Assembleia específica, realizada na noite desta quinta-feira, 1º de setembro (data-base da categoria), os bancários, por unanimidade, rejeitaram a proposta indecente dos banqueiros e aprovaram a deflagração da greve por tempo indeterminado, a partir da zero hora de terça-feira, 06 de setembro. A reação da categoria profissional foi em resposta à mesquinhez e falta de seriedade dos banqueiros, que, mais uma vez, se negou a oferecer uma proposta decente, que valorizasse os bancários.
Após quatro rodadas de negociação com o Comando Nacional dos Bancários, a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) propôs reajuste de 6,5% no salário, na PLR e nos auxílios refeição, alimentação, creche, e abono de R$ 3 mil. Uma proposta rebaixada que não cobre, sequer, a inflação do período, projetada em 9,57% para agosto deste ano e representa perdas de 2,8% para o bolso de cada bancário. Além de rebaixada, a proposta não contempla emprego, saúde, segurança, igualdade de oportunidades e demais reivindicações da categoria.
Os eixos centrais da campanha são: reposição da inflação do período mais 5% de aumento real, valorização do piso salarial, no valor do salário mínimo calculado pelo Dieese (R$3.940,24 em junho), PLR de três salários mais R$ 8.317,90, combate às metas abusivas, ao assédio moral e sexual, fim da terceirização, mais segurança, melhores condições de trabalho. A defesa do emprego também é prioridade na Campanha Nacional, assim como a proteção das empresas públicas e dos direitos da classe trabalhadora.

Reações:

0 comentários: