sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Opinião: Diga SIM para o RESPEITO

Após a liminar que garante que psicólogos possam atender eventuais pacientes que busquem terapia para reorientação sexual, proferida nessa segunda-feira (18), uma grande polêmica em torno do assunto tomou conta do Brasil, e na Paraíba não foi diferente. A decisão gerou várias dúvidas, questionamentos e até revolta entre homossexuais e também heterossexuais. onde já se viu, tratar opção sexual, como se fosse um vírus? Tem vacina? Doença psicológica? Questão biológica indefinida? São vários os questionamentos que se fazem a cerca da temática que causa pavor na comunidade LGBT.
Com esta situação, parece até que é crime ser livre para escolher sua opção sexual no nosso país. A falta de respeito com a individualidade tem causado polêmica.
Fundamentados em conservadores, algumas pessoas taé apóiam que a questão sexual tenha que ser levada como um distúrbio de personalidade. Mas outros setores da sociedade buscam harmonizar a situação afirmando que qualquer forma de “amor” é bem vinda.
O Pastor Clóvis Bernardo afirmou que foi homossexual por muitos anos em sua vida, mas deixou de ser, por segundo ele, uma força divina, mas garantiu que homossexualidade não é uma doença para, portanto, existir uma cura. Se formos partir para a questão espiritual e bíblica cabe-nos salientar que a regra divina é homem e mulher e procriar. Embora a Bíblia desaprove as práticas homossexuais, ela não apoia a homofobia ou o ódio aos homossexuais. Em vez disso, os cristãos são aconselhados a ‘respeitar todas as pessoas’. — 1 Pedro 2:17
Em outra linha opinativa, há quem diga que esta questão deve ser observada em caráter científico, deixando os aspectos teológicos de lado. No campo cientifico, não existe um parâmetro para reverter a sexualidade.
O judiciário não pode interferir em práticas que competem a especialistas, no caso da psicologia. Conforme a psicóloga Ana Sandra, práticas para reverter a sexualidade de pessoas não fazem parte do currículo do curso de psicologia e que se algum profissional introduz essa técnica com algum paciente, não aprendeu na faculdade.
Ainda de acordo com a psicóloga, uma terapia de reversão de sexualidade seria pior para o paciente, baseada em estudos internacionais da área. “Não existe proibição de que nenhum psicólogo atenda qualquer pessoa com sofrimento, inclusive relativo às questões de sexualidade. O psicólogo não pode oferecer de maneira nenhuma uma reversão de sexualidade, pois segundo os estudos internacionais isso seria pior”, completou a psicóloga. De fato nosso país já passa por inúmeras questões de reversões de valores sociais, culturais e familiares, em que a instituição família ganhou liberdade com seus vários formatos, porém abriu espaços para novas seqüelas tendo em vista estarmos ainda numa sociedade que não respeita as escolhas do próximo. Somos preconceituosos e crimes contra quem é contrário à sua opinião, seja na religião, na política e até na sexualidade, virou comum.
SB

Reações:

0 comentários: