terça-feira, 20 de agosto de 2019

Cagepa e AESA se reúnem nesta quarta-feira (21) para definir estratégia de abastecimento nas cidades atingidas por suspensão de Eixo da Transposição


A falta de água é comum em várias cidades paraibanas, mas  depois da anunciação da Transposição, o problema parecia ter fim. Só que não! A nova decisão do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) de suspender o bombeamento no Eixo Leste da transposição do Rio São Francisco vai afetar drasticamente a vida de milhares de paraibanos em pelo menos 34 municípios que precisam dessas águas para o abastecimento.

Segundo nota do Ministério apresentada na última sexta-feira (17), o trecho do projeto que está em fase de pré-operação, após equipamentos de monitoramento emitirem alerta durante a fase final de enchimento da barragem Cacimba Nova, em Custódia (PE), houve a necessidade de suspensão das operações.

Nesta quarta-feira(21) a AESA e a CAGEPA vão se reunir para definir nova estratégia de abastecimento nas cidades que recebiam a água.

Segundo o ministério, o Boqueirão está com 22,35% de sua capacidade e é capaz de assegurar o atendimento das cidades abastecidas a partir do Projeto São Francisco. A população de Campina Grande, na Paraíba, não será afetada.

O Eixo Leste abastece mais de um milhão de pessoas em 46 municípios, sendo doze em Pernambuco e 34 na Paraíba. O ministério reafirmou o compromisso em levar água para regiões que sofrem com longos períodos de estiagem, mas destacou que a prioridade é garantir a segurança das famílias que residem na região da obra.

Por Sabrina Barbosa

Reações:

0 comentários: