quinta-feira, 22 de agosto de 2019

Uma reflexão sobre as ‘Senhoras do Cabo Branco e a Morte da Humanidade’




“No momento em que paramos de lutar uns pelos outros, nesse momento perdemos a nossa humanidade.”  A frase é do filme 2012, que retrata o fim da civilização após um desastre da natureza. Mas não precisa de um terremoto, um tsunami ou um meteoro cair na terra para entendermos que estamos no fim dos tempos.

Sem precisar de efeitos cinematográficos, mas com a ‘cara lavada’, os humanos estão se destruindo, odiando sua própria raça. Não maquiam mais a falta de amor e respeito ao próximo. Demonstram em qualquer lugar, à qualquer pessoa.

Ilustro isso, com muita tristeza, pelo exemplo que aconteceu esta semana em João Pessoa, quando um grupo de senhoras procurou uma vereadora para pedi-la que proibisse a presença de pessoas deficientes na praia de Cabo Branco, em frente de suas respectivas residências. Ora, como se estas cidadãs – se é que podemos chamá-las assim, fossem donas do mar, donas da orla.

O ato enojou a sociedade pessoense, principalmente às famílias que convivem com entes que tem algum tipo de limitação, seja física ou mental. O projeto Acesso Cidadão, que atua de forma voluntária, promove a inclusão social na capital desde 2012, mudando a vida das pessoas deficientes Crianças, jovens e idosos, que independente de suas limitações podem, com ajuda de aparelhos, cadeiras especiais e pessoas de bom coração, praticar esportes na praia e tomar um banho de mar com segurança.

Mas, pessoas sem humanidade estão querendo destruir isso, alegando barulhos e poluição na praia. Pode isso?

Se a natureza humana se define pela sua racionalidade, sendo o homem o único animal racional, então podemos afirmar que este Ser Vivo – o homem, não presta? Se o conceito de humanidade é respeito ao outro e ao mundo em que vive, como explicar esse ato,desse grupo de senhoras do Cabo Branco?

Lamento. A Humanidade está morrendo. Estamos regredindo a um estado grotesco e de seres brucutus.

Não seja você assim, como as senhoras do Cabo Branco - tem suas exceções.

Pense na Divindade que te criou como imagem e semelhança Dele.

Você acha que Deus é ruim? Então, porque você é?

Pense e reflita.

Por Sabrina Barbosa

Reações:

0 comentários: