quarta-feira, 21 de agosto de 2019

Após anúncio da Caixa, outros bancos devem adotar mudanças no crédito imobiliário


A nova linha de crédito imobiliário indexada ao IPCA e não mais à TR (Taxa Referencial) adotada pela Caixa Econômica Federal, vem mobilizando o setor e fez com que outras instituições financeiras avaliassem as possibilidades de mudança na linha de crédito para financiamento da casa própria. 

A nova modalidade de crédito da Caixa terá taxas que variam de 2,95% a 4,95% ao ano. O Bradesco comunicou que deverá operar também com esta modalidade atrelada ao IPCA e que esta semana anuncia as possibilidades do novo crédito imobiliário.

 Já o  Banco do Brasil anunciou que o novo modelo para financiamento imobiliário, com taxas mais baixas para prazos de financiamento menores, está disponível. A mudança é válida para as linhas do SFH (Sistema Financeiro de Habitação) e CH (Carteira Hipotecária).

Com essa medida, as taxas de juros passam a considerar o prazo da operação escolhido pelo cliente, ou seja, quanto menor o prazo, menor será a taxa. A menor taxa de financiamento imobiliário no BB,  passa a ser 7,99% ao ano.

Taxas variam de 5,11% a 9,75%

Atualmente no mercado, a menor taxa, de 5,11%, é encontrada na linha Carta de Crédito do FGTS da Caixa Econômica Federal. A maior, de 9,75%, também é da Caixa, para as modalidades englobadas no SFH e SFI.
A Carta de Crédito do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) contempla apenas participantes do Fundo. O sistema SFH atinge imóveis de até R$ 1,5 milhão e utiliza recursos do FGTS e da caderneta de poupança. O SFI é uma linha que os bancos oferecem com recursos próprios, para imóveis com valores acima de R$ 1,5 milhão.

Por Sabrina Barbosa com R7

Reações:

0 comentários: