quarta-feira, 7 de agosto de 2019

Paraíba registra 30 casos de feminicídio no primeiro semestre de 2019




De janeiro até agora na Paraíba já foram registrados 30 casos de homicídios dolosos contra vítimas femininas, segundo um balanço divulgado nesta quarta-feira (07) pela Secretaria Executiva da Mulher e da Diversidade Humana.

No dia em que é celebrado os 13 anos da Lei Maria da Penha, criada para punir com mais rigor os agressores contra a mulher no âmbito doméstico e familiar, a Paraíba registra nas últimas 24h, três casos de feminicídio.   


Hoje, Maria da Penha é símbolo nacional da luta das mulheres contra a opressão e a violência e causou revolução no país desde 2006, quando a legislação fez com que a violência doméstica passasse a ser tipificada como forma de violação aos direitos humanos.

Mas ainda assim, a Lei não evita em sua totalidade que o crime aconteça. Pensando nisso, o Governo da Paraíba, por meio da Secretaria da Mulher e da Diversidade Humana e da Secretaria de Segurança e Defesa Social, resolveu lançar a Patrulha Maria da Penha (PMP), que vai servir como  mais um instrumento no enfrentamento à violência contra mulheres em todo a Paraíba.

Segundo Lídia Moura, Secretária Adjunta da Secretaria da Mulher e da Diversidade Humana, a nova ferramenta de apoio às mulheres, vai monitorar a segurança das mulheres que estão sob medidas protetivas no estado. A Patrulha Maria da Penha, integra o Programa Mulher Protegida do Programa Paraíba Unida pela Paz e vai funcionar inicialmente na região do agreste do estado, Campina Grande e João Pessoa.

Por Sabrina Barbosa





Reações:

0 comentários: