quarta-feira, 11 de dezembro de 2019

Polícia descobre fábrica de água mineral clandestina no sertão do estado; líquido vendido nas estradas pode ser da cacimbão ou poços artesianos


A ‘água mineral’ adquirida por quem transita na rodovia que corta a cidade de São Bento, interior da Paraíba, supostamente é de origem clandestina, segundo na aponta a Polícia Civil.

Á água que será investigada pode ser falsificada, sendo abastecida das torneiras ou até mesmo de cacimbão ou  poços artesianos da região, e é passada para o consumidor em botijões como se fosse água mineral.

Tarcísio do Leite, 32 anos, de São Bento, estava sendo procurado pela polícia por suspeita de um feminicídio e durante a ação da polícia foi encontrado  em uma fábrica clandestina de água mineral.

No local tinha falsificação de lacres, selos, garrafas e garrafões, dentre outros objetos. Todo o material foi apreendido e levado para a Distrital de Polícia. O suspeito está preso.

Por enquanto, o acusado foi autuado em flagrante delito por falsificar, corromper, adulterar produto destinado a consumo, inclusive fabricando e expondo a venda, além de outros crimes contra ordem econômica e tributária. 

Suspeito de matar a ex

Em relação ao assassinato da ex-namorada, a Polícia Civil está investigando o caso de forma minuciosa, procurando provas. Mas já há relatos de testemunhas, de que Tarcisio, após acabar o relacionamento com a ex-namorada, fazia ameaças a mulher.
A ex-namorada, após sofrer um tiro na cabeça, ainda foi levada para um hospital da cidade, mas já chegou à unidade de saúde morta. Conforme Sylvio Rabello, delegado que apura o caso, Tarcisio é o principal suspeito do crime, mas a polícia investiga se o homem teria atirado na mulher ou se teria mandado matá-la.

Por Sabrina Barbosa com Polícia Civil

Reações:

0 comentários: